COMO É QUE UM DMC COMO QUIMBAYA SE POSICIONA NESTA NOVA ERA, E COM QUE COMPROMISSOS PARA O NOVO TURISMO?

Em 33 anos de existência vivemos várias crises, mas nunca imaginamos uma crise de tamanha magnitude.

Um grande desafio se nos apresenta.

A sustentabilidade é agora uma questão de curto e médio prazo.

Foi essencial uma reflexão diária e cada um dos nossos colaboradores é chamado a participar nessa reflexão.

Prever o turismo para os próximos anos seria demasiado pretensioso, mas estão a surgir boas ideias.

O rigor e a boa gestão serão sempre a base da sustentabilidade, mas sem respeitar os nossos instrumentos de trabalho, que são os recursos naturais e humanos dos países que visitamos, o nosso trabalho deixará de fazer sentido.

Todos devem ser responsáveis e sustentáveis, mas acima de tudo unidos.

Será vital uma interação justa e de qualidade entre os vários intervenientes. Sem relações de confiança baseadas, sobretudo, no respeito mútuo, nenhuma empresa turística pode funcionar.

A responsabilidade social tornar-se-á obrigatória e terá de ser traduzida em ações concretas, mas acima de tudo sustentáveis e eficazes.

Todos saberão fazer a diferença.

A palavra viagem pode não ter o mesmo significado hoje, mas

Assim que esta crise terminar, todos nós vamos querer descolar.

Não importa a forma que esse desejo de se mover, de conhecer pessoas e de descobrir lugares distantes tomará, enquanto estivermos lá.

Só sobreviverão as empresas que conseguirem adaptar-se e responder a este novo significado da palavra viagem.

Há vários anos que enveredamos pelo caminho da sustentabilidade e do turismo responsável. Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas com esta crise teremos aprendido com certeza que este é o único caminho a seguir.

O turismo será novo ou não será.

Partilhar esta entrada

Optimized by Optimole