” Podem contar connosco! “

TendanceNomad: Na América Latina, quais são suas perspetivas para reprise ? Claudia: As perspetivas de recuperação variam de país para país. De acordo com informações, todos os países abrirão no último dia 5 de agosto.

” Podem contar connosco! “

TendanceNomad: Na América Latina, quais são suas perspetivas para reprise ? Claudia: As perspetivas de recuperação variam de país para país. De acordo com informações, todos os países abrirão no último dia 5 de agosto.
Tendance Nomad: Na América Latina, quais são suas perspetivas de recuperação?

Claudia Terrade: As perspetivas de recuperação variam de país para país. De acordo com informações, todos os países reabrirão até 5 de agosto, o mais tardar. Os aeroportos começarão a operar entre 22 de julho e 1º de setembro, e o único país que não reabrirá em outubro será o Peru. Depois, cada país definiu várias etapas de recuperação que dependerão da evolução da situação de saúde de cada um deles. Mantemos uma tabela que atualizamos regularmente e que se encontra na nossa página web: https://quimbaya-tours.com/en/covid19-updates/. Aqui está um resumo:

Claudia Terrade, CEO Quimbaya América Latina

12/07/2020

A partir de 15/07/2020

A partir de 08/05/2020

PAÍSDATA DO FIM DO LOCKDOWNREABERTURA DOS AEROPORTOS
ArgentinaA partir de 01/09/2020
BolíviaDesde 30/06/2020Ainda sem data
ColômbiaA partir de 09/01/2020
ChileContenção dinâmica por zonas. Ainda não há data prevista para o desconfinamento totalAeroportos abertos para voos domésticos. Não há data específica para voos internacionais
Costa RicaSem contençãoAeroportos abertos e em operação
EquadorContenção por restrições de saída, de acordo com placas de veículosAinda sem data definida
GuatemalaA partir de 08/01/2020
MéxicoNão há mais contençãoAeroportos em operação
parcial
PanamáAinda sem data, mas possível no início de agostoA partir de 22/07/2020
PeruDesde 30/06/2020Em outubro, data ainda não fixada
Tendance Nomad: Para os próximos meses, que operações MICE “significativas” você pode oferecer?

Claudia Terrade: Assim que os países reabrirem, as propostas dependerão do setor de cada empresa e das especificações que teremos que respeitar, mas, em geral, ofereceremos atividades ao ar livre em grupos menores do que no passado e locais abertos, espaçosos e claros, onde o distanciamento físico possa ser respeitado sem dificuldade.

A tecnologia terá, sem dúvida, um papel muito importante a desempenhar para evitar a entrega de documentos e a manipulação de objetos. O cumprimento das normas de biossegurança será a palavra-chave para
Cada operação e a seleção das empresas terceiras envolvidas serão rigorosas e rigorosas. A nossa capacidade de adaptação será a nossa principal aliada. Nunca faltou criatividade nos nossos países, pelo que continuaremos a adaptar-nos e a usar a nossa criatividade sem moderação! Conte connosco!

Tendance Nomad: O que você recomenda aos seus clientes? Face à crise sanitária, qual é o seu valor acrescentado?

Claudia Terrade: Estamos conscientes de que o reinício das viagens MICE não será imediato nem fácil, mas quando as viagens forem retomadas, se fôssemos dar conselhos aos nossos clientes, seria para estarmos bem informados sobre as medidas tomadas pelo país para onde vão levar os seus clientes e a forma como essas medidas são aplicadas pelas várias partes envolvidas em cada operação. A situação sanitária na América Latina não é tão deplorável, ou generalizada, como é apresentada por alguns meios de comunicação. Até à data, a taxa de mortalidade dos 11 países onde trabalhamos, que representam uma população 65% maior do que a da França, Bélgica, Espanha e Itália juntas, é de apenas 0,22% e a destes 4 países é de 0,55%. (Razão entre o número de mortes e o número de habitantes de todos os países mencionados). A contenção na maioria dos países foi rigorosa e duradoura. Todos os países adotaram medidas rigorosas e estão exigindo que as empresas estabeleçam protocolos rígidos de biossegurança para retomar as operações. Estamos no processo de obtenção de certificações em cada um dos nossos países e também obteremos rótulos internacionais que tranquilizarão nossos clientes. A segurança dos passageiros será a prioridade em toda a cadeia. O nosso valor acrescentado continua a ser a nossa presença em cada país, a nossa reputação e as nossas sólidas relações baseadas na confiança, respeito e profissionalismo com cada um dos nossos parceiros ao longo dos nossos 33 anos de existência. Já começámos a estabelecer os nossos protocolos internos para estarmos bem sincronizados com os nossos diferentes parceiros em cada país e estarmos prontos quando a nossa atividade for retomada.

Tendance Nomad: Que mensagem gostaria de enviar aos anunciantes e organizadores de eventos?

Claudia Terrade: Apesar das dificuldades que alguns de nossos países da América Latina têm apresentado para superar essa crise, nossos países sempre serão acolhedores, festivos e cheios de ideias para que cada operação e cada viagem seja inesquecível. Faremos todo o possível para tornar o reencontro entre nós ainda mais feliz do que todas as vezes que tivemos a honra de trabalhar com vocês!

Tendance Nomad: Na América Latina, quais são suas perspetivas de recuperação?

Claudia Terrade: As perspetivas de recuperação variam de país para país. De acordo com informações, todos os países reabrirão até 5 de agosto, o mais tardar. Os aeroportos começarão a operar entre 22 de julho e 1º de setembro, e o único país que não reabrirá em outubro será o Peru. Depois, cada país definiu várias etapas de recuperação que dependerão da evolução da situação de saúde de cada um deles. Mantemos uma tabela que atualizamos regularmente e que se encontra na nossa página web: https://quimbaya-tours.com/en/covid19-updates/. Aqui está um resumo:

Claudia Terrade, CEO Quimbaya América Latina

Tendance Nomad: Para os próximos meses, que operações MICE “significativas” você pode oferecer?

Claudia Terrade: Assim que os países reabrirem, as propostas dependerão do setor de cada empresa e das especificações que teremos que respeitar, mas, em geral, ofereceremos atividades ao ar livre em grupos menores do que no passado e locais abertos, espaçosos e claros, onde o distanciamento físico possa ser respeitado sem dificuldade.

A tecnologia terá, sem dúvida, um papel muito importante a desempenhar para evitar a entrega de documentos e a manipulação de objetos. O cumprimento das normas de biossegurança será a palavra-chave para
Cada operação e a seleção das empresas terceiras envolvidas serão rigorosas e rigorosas. A nossa capacidade de adaptação será a nossa principal aliada. Nunca faltou criatividade nos nossos países, pelo que continuaremos a adaptar-nos e a usar a nossa criatividade sem moderação! Conte connosco!

Tendance Nomad: O que você recomenda aos seus clientes? Face à crise sanitária, qual é o seu valor acrescentado?

Claudia Terrade: Estamos conscientes de que o reinício das viagens MICE não será imediato nem fácil, mas quando as viagens forem retomadas, se fôssemos dar conselhos aos nossos clientes, seria para estarmos bem informados sobre as medidas tomadas pelo país para onde vão levar os seus clientes e a forma como essas medidas são aplicadas pelas várias partes envolvidas em cada operação. A situação sanitária na América Latina não é tão deplorável, ou generalizada, como é apresentada por alguns meios de comunicação. Até à data, a taxa de mortalidade dos 11 países onde trabalhamos, que representam uma população 65% maior do que a da França, Bélgica, Espanha e Itália juntas, é de apenas 0,22% e a destes 4 países é de 0,55%. (Razão entre o número de mortes e o número de habitantes de todos os países mencionados). A contenção na maioria dos países foi rigorosa e duradoura. Todos os países adotaram medidas rigorosas e estão exigindo que as empresas estabeleçam protocolos rígidos de biossegurança para retomar as operações. Estamos no processo de obtenção de certificações em cada um dos nossos países e também obteremos rótulos internacionais que tranquilizarão nossos clientes. A segurança dos passageiros será a prioridade em toda a cadeia. O nosso valor acrescentado continua a ser a nossa presença em cada país, a nossa reputação e as nossas sólidas relações baseadas na confiança, respeito e profissionalismo com cada um dos nossos parceiros ao longo dos nossos 33 anos de existência. Já começámos a estabelecer os nossos protocolos internos para estarmos bem sincronizados com os nossos diferentes parceiros em cada país e estarmos prontos quando a nossa atividade for retomada.

Tendance Nomad: Que mensagem gostaria de enviar aos anunciantes e organizadores de eventos?

Claudia Terrade: Apesar das dificuldades que alguns de nossos países da América Latina têm apresentado para superar essa crise, nossos países sempre serão acolhedores, festivos e cheios de ideias para que cada operação e cada viagem seja inesquecível. Faremos todo o possível para tornar o reencontro entre nós ainda mais feliz do que todas as vezes que tivemos a honra de trabalhar com vocês!

Optimized by Optimole